O Brasil é hoje o maior exportador mundial de proteínas animais para o mercado muçulmano, e 52% de toda a carne que exportamos atende ao padrão halal, exigido pelos países islâmicos. E o Paraná é o principal polo exportador brasileiro, com 35,85% do volume exportado. Para Ali Saifi, diretor executivo da Cdial Halal, principal certificadora brasileira de produtos considerados “lícitos”, ou seja, permitidos pela lei islâmica, o Brasil tem muito a ensinar a outros países sobre esse mercado. Saifi foi um dos palestrantes do 7º Fórum de Agricultura da América Latina, que ocorre nesta quinta (5) e sexta (6) no Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba (PR).

Saifi explicou que o mercado árabe hoje envolve 1,8 bilhão de pessoas ao redor do mundo e que  há oportunidades para o Brasil ampliar sua liderança, com mercados como a China e o Japão, onde as certificações halal hoje já são uma realidade, pois é crescente o número de muçulmanos nesses países. Além disso, o Brasil também exporta para grandes consumidores de carne halal, como Arábia Saudita e Emirados Árabes. Ele também comemorou o recente acordo de exportação com a Indonésia, firmado pelo governo brasileiro, abrindo um mercado potencial de 250 milhões de pessoas. O painel sobre o mercado halal também a participação de Fernando Mendes, da Secretaria de Defesa Agropecuária do Mapa, e do secretário de Agricultura de Abastecimento do Paraná, Norberto Ortigara.

Acompanhe a transmissão ao vivo do Fórum:

Fonte Oficial: Gazeta do Povo.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Boletim Concursos.

Comentários