Pessoal, boa tarde.

Vamos começar o nosso artigo com esse vídeo do maior medalhista olímpico da história: Michael Phelps.

Sempre admirei muito os atletas de alto rendimento de esportes individuais. Acho que eles estão, emocionalmente, acima de todas as demais pessoas. 

Além disso, por mais que tenham treinadores, eles são os únicos responsáveis pelos resultados obtidos. Não há ninguém para rebater uma bola de tênis pelo Federer, ou dar as braçadas finais na piscina pelo Phelps, ou esticar o corpo na chegada, para vencer uma corrida por 1 ou 2 centésimos de segundo, pelo Bolt. Não… esses caras fazem isso sozinhos!

Os cientistas, os empresários e quaisquer outros que são expoentes em suas respectivas áreas também precisar se dedicar ao máximo para obterem os melhores resultados e alcançarem os seus objetivos (mesmo com uma equipe os auxiliando).

Mas o atleta lida com uma variável sobre a qual eles não possuem nenhum controle: o tempo.
O criador do KFC (empresa famosíssima nos EUA, de frango frito) criou seu negócio aos 62 anos. 
Henry Ford (dispensa apresentações) apresentou ao mundo seu primeiro carro aos 45 anos.
Charles Darwin escreveu seu famoso livro sobre a origem das espécies aos 50 anos.
E o Stan Lee, histórico quadrinista, deu vida ao seus primeiros personagens aos 39 anos.

Phelps e Bolt, por exemplo, conquistaram seus recordes mundiais antes dos 30 e se aposentaram aos 31 e 30 anos, respectivamente. 

O concurseiro é solitário, muitas das vezes precisa correr contra o tempo, então nada melhor do que aprender um pouco com esses caras…

1) Foque no objetivo, sempre, e não se renda às dificuldades: todos teremos dias difíceis, mas estejamos preparados para obter resultados normais em dias anormais. Não vai ser aquele baita rendimento ? Não vai. Mas vai ser melhor do que nada. E, possivelmente, algo próximo da média de muita gente.
Quando pensamos nos problemas, acabamos não conseguindo focar no que deveríamos. Afinal, estamos dando mais atenção ao problema do que ao nosso objetivo (que é ser aprovado). Vejam o exemplo do Phelps ao nadar com os óculos cheios de água. Ele poderia ter se incomodado (afinal era apenas a primeira de 3 provas que ele nadaria só naquele dia – ele não falou isso no vídeo, mas sou um completo fanático por Olimpíadas e tenho uma ótima memória para esses momentos históricos -, os oponentes eram de altíssimo nível e ele tinha o objetivo de conquistar 8 medalhas de ouro numa só edição dos Jogos, sem poder falhar em NENHUMA prova), mas focou no objetivo, pensou nos treinos, contou as braçadas e não só venceu a prova como quebrou o recorde mundial da prova.

2) A vontade de ser aprovado tem que ser sua: faça seu melhor sempre, pois VOCÊ quer ser aprovado. Sempre falei pros meus alunos do coaching que eu não posso ficar dizendo pra eles estudarem e, muito menos, nem devo forçá-los a estudar. Não!!! Se chegou a esse ponto é porque a sua aprovação não é mais o seu objetivo prioritário. E se ela não for tratada assim, você vai fraquejar inúmeras vezes quando se deparar com outras coisas mais interessantes para fazer. 

3) Grandes conquistas demandam um planejamento de longo prazo: ninguém vira o guru dos concursos de um dia para o outro. Phelps tinha todas as condições fisiológicas/físicas favoráveis a ele: pés grandes, envergadura muito acima da média, tornozelos que dobram cerca de 15º a mais do que o normal para seres humanos, menor produção de ácido láctico pelo organismos do que os demais atletas (o que explica ele ter aguentado nadar os 3,3 km nas Olimpíadas de 2008 para conquistar os 8 ouros que queria). Mesmo assim ele treinou, sem perder um dia sequer, por mais de 400 dias seguidos. Ele nadava mais de 10 km por dia. Provavelmente, muitos sequer caminham essa distância diariamente.

4) A “sorte” premia quem trabalha: não adianta achar que dá pra contar com a sorte se você não se preparou adequadamente (ou porque não empenhou como deveria ou porque só começou a estudar próximo ou após o edital). Sinto dizer que a sorte não estará ao seu lado. Em 2008 a penúltima medalha de ouro do Phelps veio nos 100m borboleta.
Uma prova em que ele virou os primeiros 50m em 6º lugar (dentre os 8 nadadores), se recuperou e venceu por um mísero centésimo de segundo. No replay, o visual parece mostrar o adversário (Cavic) tocando a borda da piscina antes, mas sem a força mínima necessária para travar o cronômetro. É como se ele tangenciasse a borda. Mas o Phelps, de fato, vence. Lembro que cogitou-se um protesto contra o resultado, por parte dos sérvios, mas não rolou. Você acha que foi sorte ? Será que alguém treinou mais do que ele nos 400 ou 500 dias que antecederam os Jogos de 2008 ? Eu não acho que tenha sido sorte. Acho que “a sorte é que teve sorte” de ter sido associada a mais esse grandioso feito do Phelps.

5) Não desistam dos seus objetivos: Phelps nadou as Olimpíadas de 2000 (uma prova – 5º lugar) e 2004 (8 provas – 6 ouros e 2 bronzes) antes de conquistar seu objetivo em 2008 (8 provas – 8 ouros). Depois disso, ele ainda conquistaria mais 9 ouros e 3 pratas em 12 provas nadadas em 2012 e 2016. 
Outro exemplo (fora do esporte, inclusive): JK Rowling (escritora de Harry Potter) teve seu livro rejeitado por DOZE editoras antes de conseguir publicá-lo aos 31 anos de idade. A série literária se tornou a mais vendida da história. 
Às vezes o sucesso não virá no primeiro ou no segundo concurso, mas sigam fazendo o seu melhor sempre, que ele virá. E, sem dúvida, quanto mais vocês se dedicarem, mais próximos da conquista estarão. Ou, vendo por outro prisma: a cada fracasso vocês estarão mais próximos do sucesso, desde que persistam.

Ótima semana a todos !

Fonte Oficial: Estratégia Concursos.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Boletim Concursos.

Comentários