O Departamento
de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou nesta segunda-feira (12) um
novo relatório sobre a safra americana, reduzindo a estimativa de produção da
soja no país. Na última previsão, publicada em julho, o governo falava
de uma safra estimada em 104,64 milhões de toneladas. O relatório de agosto, no
entanto, reviu a projeção para 100,16 milhões de toneladas – uma quebra de 19%
em relação à safra de 2018, quando foram produzidas 123,66 milhões de toneladas.

A culpa pelo menor volume produzido recaiu sobre o clima. “Chuvas
significativas continuaram durante o mês de julho em várias áreas, incluindo as
planícies do Norte e no Meio-Oeste, mas a precipitação diminuiu para a metade Sul
das planícies e porções central e oriental do Cinturão do Milho”, diz um trecho
do relatório. O período de seca e forte calor também afetou a produtividade,
com aumento do estresse hídrico em quase metade das lavouras de alguns estados,
segundo o USDA. “A estiagem de curto prazo também afetou negativamente as
culturas de verão em partes do Cinturão, especialmente em áreas onde o milho e
a soja foram plantados muito tarde e têm sistemas radiculares mal estabelecidos”,
afirma o Departamento de Agricultura.

A área plantada da oleaginosa no ciclo 2019 também caiu, de 36
milhões de hectares em 2018 para 31 milhões de hectares neste ano. Os estados
de Illinois e Iowa seguem como os principais produtores de soja nos EUA. Já o
preço da soja para esta safra segue na estimativa de US$ 8,4 por bushel.

Fonte Oficial: Gazeta do Povo.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Boletim Concursos.

Comentários