Se você quer estudar Biblioteconomia para concursos, chegou ao lugar certo!

Olá pessoal, tudo bem?

Aqui é Ana Patrícia, professora de Biblioteconomia para concursos do Estratégia.

Ao longo da minha caminhada no mundo dos concursos, observei que muitas pessoas têm dificuldades de organizar seus estudos, e acabam perdendo muito tempo com estudos pouco efetivos. Por isso, decidi escrever esse artigo sobre como estudar Biblioteconomia para concursos públicos.

No estudo de Biblioteconomia para concursos, é preciso estabelecer algumas estratégias que vão nortear a sua preparação. Quando fui aprovada em 1º (primeiro) lugar no concurso de Bibliotecária do IPHAN, recebi diversas mensagens de concurseiros, e quase todos eles queriam saber “qual é a melhor técnica de estudos”. Então, nesse artigo vou tentar responder essa questão, que eu sei que é um dilema de muitas concurseiros.

Primeiramente: não existe a melhor técnica, existe a melhor estratégia para você! Cada pessoa vai se adaptar melhor com uma forma de estudo, conforme sua disponibilidade de tempo de estudo, objetivos e foco. Portanto, você precisa buscar a estratégia que seja mais adequada ao seu perfil.

Leitura, videoaulas, resumos, mapas mentais e resolução de questões: esse combo de técnicas, quando bem utilizados, é infalível. Posso assegurar que fazendo tudo isso, você estará estudando de verdade, sem enrolação. Vou mencionar aqui 6 (seis) estratégias que são usadas por vários concurseiros, e que apresentam bons resultados:

1) Estabeleça seu foco: você precisa identificar qual o tipo de concursos você está almejando. Isso porque os concursos possuem características distintas. Por exemplo, os concursos de órgãos jurídicos possuem um edital muito diferente dos concursos de instituições de ensino superior.

Nos concursos da área jurídica, certamente a banca vai cobrar conhecimento de fontes de informações jurídicas, Classificação Decimal de Direito (CDDIR), Consórcio BDJur, características da documentação jurídica. Já nas instituições de ensino superior, são comuns temáticas como bibliotecas universitárias, tecnologias da informação aplicadas à gestão de acervos, bibliotecas digitais, repositórios institucionais e editoração eletrônica de revistas.

2) Planeje seus estudos: para iniciar uma rotina estudos e necessário planejamento. Comece dimensionando as matérias que você precisa estudar e o tempo que você dispõe para isso. Monte um cronograma, relacione todas as matérias e o seu tempo disponível e siga esse planejamento. Dê mais atenção àqueles temas que você tem mais dificuldades, estipule suas metas semanais para cumprir o cronograma e lembre-se de fazer revisões periodicamente.

3) Não espere o edital sair para começar estudar: saia na frente dos outros candidatos e já comece sua preparação o quanto antes. Algumas disciplinas estão presentes em praticamente todos os editais. São assuntos básicos da Biblioteconomia que você deve conhecer como serviço de referência, desenvolvimento de coleções, planejamento de bibliotecas e estudo de usuários. Sugiro que você já adiante os estudos dessas matérias e ganhe tempo. Deixe apenas as matérias mais específicas para estudar pós edital.

4) Não despreze nenhuma matéria do edital: um erro muito comum nos concursos de Biblioteconomia é o candidato focar apenas no conteúdo da prova específica e deixar de lado os conhecimentos gerais. Lembra-se que em qualquer concurso, você precisa atingir a pontuação mínima em todas as matérias, por isso nenhuma delas pode ser deixada de lado. Você precisa tirar um tempo para estudar português, noções de direito administrativo e constitucional, raciocínio lógico, informática, e outras matérias que são cobradas no seu concurso. De nada adianta você acertar todas as questões de conhecimento específico, e ser eliminado em legislação, por exemplo. Além disso, a pontuação conquistada nas questões de conhecimento geral é o diferencial no resultado final. É essa pontuação que vai te distinguir dos outros concorrentes e te dar uma pontuação mais elevada.

5) Tenha um material de qualidade: um bom material de estudo faz toda a diferença. Às vezes perdemos muito tempo catando todo tipo de material, na internet, nas bibliotecas ou no nosso arquivo pessoal da faculdade. Essa busca, alem de nos fazer perder muito tempo, muitas vezes nos retorna material de baixo qualidade, ou com pouco foco em concursos. A matéria de Biblioteconomia é extensa por isso de temos que otimizar nosso estudo. Fazer uso de uma apostila direcionada para concurso público, com o conteúdo completo, mesclando teoria e questões de provas, facilita muito a vida do concurseiro. Todo tempo poupado com busca de material, pode e deve ser aproveitado nos estudos. Além disso, ler um material de qualidade, atualizado e direcionado é motivador para quem estuda. Você consegue aprender e relembrar o conteúdo, treinar para concursos através das questões e fazer revisões.

6) Faça muitas questões: já dizia o ditado “a prática leva a perfeição”, portanto pratique exaustivamente. Resolução de questões aliada a teoria é a melhor forma de exercitar o que você aprendeu. Você reforça seus estudos e faz revisão ao mesmo tempo. Por meio das questões você consegue identificar o perfil de cada banca, os assuntos mais cobrados e a forma como é cobrado e até mesmo, as pegadinhas. As questões de provas antigas são uma excelente forma de montar uma estratégia para direcionar seus estudos.

Bom pessoal, espero que essas dicas sejam úteis para vocês e auxiliem nos estudos. Lembrem-se que um estudo eficiente não esta relacionado à quantidade de horas estudadas, e sim a qualidade do estudo. Ao adotar boas práticas e uma estratégia de estudo adequada para você, certamente você alcançará melhores resultados e terá vantagens na disputa pela tão sonhada vaga!

Abraços,

Ana Patrícia

P.S: Deixo aqui meu perfil no Instagram, onde disponibilizo conteúdo, informações e dicas de Biblioteconomia para concursos públicos. Quem quiser saber mais, me segue lá!!

@prof.anapatricia

Fonte Oficial: Estratégia Concursos.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Boletim Concursos.

Comentários